Depressão: alimentos que ajudam a aliviar os sintomas do mal do século

Postado por: Sabor Caseiro Categoria: Dica Sabor Caseiro, Vida Saudável Tag: , , , Comentários: One Comment Data de postagem: janeiro 14, 2020

Depressão: alimentos que ajudam a aliviar os sintomas do mal do século

Cada vez mais os estudos indicam que a nutrição pode ser uma importante aliada no combate à doença

Conforme dados apontados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a depressão é a segunda causa de morte de jovens entre 15 e 29 anos. Conhecida como o mal do século, ela é uma doença mental que deve ser levada a séria e tratada com cuidado. Em meio aos tratamentos e acompanhamentos disponíveis, a alimentação pode ser uma grande aliada no alívio dos sintomas.

A depressão atinge cerca de 12 milhões de pessoas no Brasil, tornando-se uma das doenças mais debilitantes e perigosas do mundo, especialmente entre os jovens. Ela pode interferir diretamente no desenvolvimento das pessoas nessa fase da vida. Há tratamento médico disponível para quem sofre com a doença, e enquanto promotores da boa saúde e alimentação, acreditamos que podemos contribuir à nossa maneira. Hoje, a nutrição vem ganhando espaço nos campos de pesquisa sobre depressão. Nesse texto, listamos alguns alimentos que ajudam a aliviar os sintomas da depressão. Vamos lá?

 

  • Vegetais verdes escuros

Ricos em ácido fólico, substância essencial na produção de serotonina, dopamina e norepinefrina, cujos níveis baixos estão ligados à depressão;

  • Laranja, tangerina, maçã, melancia e abacate

Ricos em triptofano, responsável pelo aumento de produção de serotonina, o neurotransmissor do bem estar e que nos deixa com a sensação de felicidade

  • Vitamina C

Também encontrados nas frutas descritas acima. É um potente antioxidante que ajuda a diminuir o estresse;

  • Chocolate

Auxilia principalmente as mulheres que têm oscilação hormonal. Tem que ser chocolate rico em cacau, de preferência amargo ou meio amargo. Não consuma chocolate branco;

  • Peixe

Ajuda a aumentar os níveis de serotonina e a diminuir o consumo de carne vermelha;

  • Oleaginosas (castanha do pará, castanha de caju, nozes e amêndoas)

Ricos em selênio, um mineral antioxidante. Ajuda a minimizar o estresse, especialmente o neurológico;

  • Leite desnatado e derivados

Não possui muita gordura e é rico em cálcio. O cálcio está ligado à contração muscular cardíaca, ajudando a diminuir o nervosismo e o estresse central

 

O que evitar?

Alguns alimentos e substâncias devem ser evitados. Dietas pró-inflamatórias, aquelas com alto consumo de açúcar, sal, refinados e gordura saturada, contribuem para o surgimento dos sintomas da depressão.

 

  • Alimentos industrializados

A gordura trans afeta diretamente os neurônios. Isso diminui a atividade neurológica, tornando a pessoa mais irritada, nervosa, com menor atividade cerebral e altos níveis de estresse;

  • Álcool

Ele diminui a absorção de todos os nutrientes benéficos à saúde citamos acima, como ácido fólico, complexo B e substâncias antioxidantes;

  • Cafeína (café, refrigerante e chá)

A cafeína aumenta o nível de estresse central e pode piorar o quadro depressivo;

  • Alimentos “zero”

Possuem alto teor de sódio, substância que afeta diretamente o nosso sistema nervoso;

  • Fast food

Esses alimentos industriais têm altíssimos níveis de açúcar, sal (sódio), gorduras , conservantes e corantes. Essas substâncias contribuem para quadros de irritação e agressividade e influenciam diretamente no peso;

  • Adoçante artificial

Apesar de baixa caloria, esses alimentos provocam grande baixa na produção de serotonina, responsável pela sensação de prazer e bom humor;

  • Baixo consumo de carboidratos

Quem busca fazer dieta, por vezes corta os carboidratos. Em um quadro de depressão, isso não traz benefícios, pois essa substância é responsável por prover energia ao nosso organismo. Sem ela, os níveis de serotonina podem cair.

 

Nosso trabalho nas Escolas

A Santo Sabor, empresa ligada à Sabor Caseiro, desenvolve um importante trabalho junto a instituições de ensino como Escola Santa Dorotéia, São Judas Tadeu, Escola Cenáculo e Projeto Escola, promovendo alimentação saudável a crianças e adolescentes. Essa é a nossa contribuição para que os jovens possam ter uma dia a dia mais ativo e um melhor desenvolvimento físico e neurológico, principalmente quando sabemos que uma boa alimentação afeta diretamente no aprendizado infantil.

 

Recado importante

Os estudos que associam a boa alimentação ao combate à depressão ainda estão no começo, temos um longo caminho a percorrer. Mas é inegável que os alimentos são responsáveis por nutrientes importantes para o nosso corpo, podendo nos causar sensação de bem estar e prover-nos um corpo mais saudável. A boa alimentação também está relacionada diretamente à autoestima e aparência.

 

É importante deixar muito claro: esses alimentos citados não são curativos, eles não são capazes sozinhos de acabar com a depressão. Para isso, é imprescindível que o paciente com depressão busque um acompanhamento psiquiátrico ou psicológico especializado. A boa alimentação é tão somente mais um dos pilares que podem auxiliar no tratamento.

Compartilhe esta postagem

Comment (1)

  • Sabor Caseiro
    Marina Paz Toledo Resposta

    Gratidão por tão importantes esclarecimentoo

    janeiro 30, 2020 em 12:47 pm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *