Relações familiares: o que mudou com a pandemia

famílias na pandemia
Postado por: entrerios Categoria: Sabor Caseiro Tag: , , , Comentários: 0 Data de postagem: abril 23, 2021

Relações familiares: o que mudou com a pandemia

A pandemia da Covid-19 trouxe mudanças para todas as esferas da sociedade, desde as micro até as macro relações. As famílias, obrigadas a conviver de forma muito mais intensa uns com os outros, também foram impactadas nesse contexto. Pais trabalhando em regime remoto, filhos estudando em casa e tarefas domésticas inadiáveis sempre à espreita. Assim foi ano de muitas famílias, que tiveram que se reinventar e se adaptar a novas formas de convivência.

 

“O primeiro desafio foi se adaptar às rotinas online. Ajudar as crianças a se organizar nas plataformas e nas atividades. Mas eles são rápidos tecnologicamente falando, e logo estavam adaptados. Enquanto isso,  tivemos que aprender que amar era ficar longe de quem amávamos. Tivemos várias fases nesse ano todo. Umas mais coletivas, outras nem tanto. Conseguimos manter a boa convivência e o bom humor apesar do caos lá fora e das individualidades de cada um”, relata Patrícia Farah, proprietária da Sabor Caseiro.

Apesar da experiência positiva de Patrícia, nem todas as famílias passaram com tanta tranquilidade por esse momento. A pandemia da covid-19 levou ao aumento no número de divórcios. No segundo semestre do ano passado, os cartórios brasileiros registraram recorde no número de separações, com 43,8 mil processos, segundo dados do Colégio Notarial do Brasil — Conselho Federal (CNB/CF).

Além das fissuras nas relações a dois, para quem tem filhos, os desafios estão sendo ainda maiores. “A falta dos amigos é sem dúvida o fator mais difícil para eles”, ressalta Farah. Durante esse período de distanciamento social, sua família tomou algumas atitudes para atravessar o momento de forma mais saudável: “Algumas regras da família foram flexibilizadas, como o uso dos eletrônicos, por exemplo. Nós estamos passando boa parte do mês no campo, o que naturalmente faz as coisas se tornarem mais agradáveis pela exposição ao sol e contato direto com a natureza. Acredito que as crianças estão passando por esse momento com mais tranquilidade em função dessa possibilidade”, explica.

Apesar dos desafios impostos pela pandemia, a comunicação segue sendo o fator mais importante para manter a união da família. Além disso, é preciso ter paciência e empatia na hora de ouvir o outro, buscando fortalecer e estreitar os laços familiares. “Acredito que a pandemia trouxe possibilidades individuais de reflexão que trazem benefícios para toda família. Os diálogos não puderam ser evitados ou deixados para depois. Se a gente aprender que conversar é o melhor remédio, pode ter ficado um belo legado, que se estende inclusive para relações fora da família”, conclui Patrícia Farah.

E por aí, como está sendo a convivência familiar durante a pandemia?

 

 

 

Compartilhe esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *